6 de nov de 2014

Os melhores aplicativos para editar suas fotos

Os aplicativos para edição de fotos é algo indispensável, afinal quem não gosta de colocar um filtro para deixar a imagem bonita, ou então fazer edições como iluminação, saturação entre outras modificações na foto. Para você que está a procura de um aplicativo para editar suas fotos, veja abaixo uma lista com os três melhores aplicativos voltados para a edição em seu smartphone.
timthumb Os melhores aplicativos para editar suas fotos

Afterlight [PAGO]

O Afterlight na minha opinião é o melhor e mais completo aplicativo, porém possui uma desvantagem que é ele ser pago, ele está por $0,99, que valem a pena, afinal o app te oferece diversas opções de edição, como filtros, molduras, opções de luz, constaste, saturação, corte de imagem, e outras diversas opções para deixar sua foto bem bonita.

PixlrExpress PLUS [GRATUITO]

O PixlrExpress Plus é na minha opinião o melhor aplicativo grátis de edição e talvez você já conheça ele, pois alem de estar disponível em forma de aplicativo, ele também está disponível na web, para você que deseja editar suas fotos que estão no seu computador. O aplicativo é muito completo, com filtros muito bonitos, além de possuir diversas ferramentas extras para você modificar a sua foto.

Camera 360 [GRATUITO]

O Câmera 360 é um app gratuito, ele conta com uma interface simples e útil, além de possuir mais de 100 filtros e outras funções como a regulagem de luz e a ferramentas para editação da pele, o que faz com que você consiga deixar suas fotos bem bonitas e até salvar algumas fotos que por algum motivo saiu com alguma imperfeição.
Cada aplicativo possui seu destaque, resta a você testa-los e ver qual atende melhor a suas necessidades, e quem sabe no seu caso um complemente o outro. Caso você utilize outro aplicativo para editar suas fotos, deixe um comentário abaixo com o nome do aplicativo para testarmos e quem sabe não indicamos ele nesta postagem.

Como não ser hackeado no Instagram

Um problema muito comum é o roubo de contas no Instagram, isso ocorre por diversos motivos, mas o principal motivo é o descuido do próprio usuário, que muitas vezes comete erros simples como a disponibilização de dados inexistentes o que impossibilita a recuperação da conta. Veja abaixo algumas dicas para você não ter o seu Instagram hackeado.
28330.43521 instagram Como não ser hackeado no Instagram

Crie uma senha segura

 Na hora de realizar o seu cadastro no Instagram ou em qualquer outra rede social, você deve cadastrar uma senha segura e que não seja obvia, de preferencia uma senha que mescle números, letras minusculas e maiúsculas, desta forma será mais dificil da sua senha ser descoberta até mesmo por programas especializados.

Cuidado com sua senha

 Tenha cuidado com a sua senha, não coloque a em qualquer lugar, cuidado ao utilizar sites para ganhar seguidores, aplicativos para ganhar seguidores e curtidas, ou em outros sites que peçam a sua senha, verifique sempre a qualidade do site e veja se ele não tem antecedência de roubos de contas. Uma outra dica é sempre alterar a sua senha após utilizar algum site ou aplicativo que pede a sua senha, desta maneira você fica com uma maior segurança e se garante de que não vai ter sua senha alterada.

Disponibilize suas informações corretas

Uma das principais causas para a não recuperação das contas após ser hackeada é a falta de informações corretas na hora do cadastro, pois quando você coloca as informações incorretas como o seu e-mail, número de celular e outras informações, não há como recuperar sua senha, pois na hora de pedir a redefinição da sua senha ela será enviada para o seu e-mail.

Conclusão

Concluindo, basta você ter cuidado com a sua senha e sempre manter suas informações atualizadas, e caso tenha sua senha alterada, basta pedir a redefinição de senha para o seu e-mail, mas procure sempre evitar disponilizar sua senha, e sempre que disponibilizar após o uso do serviço basta você alterar a sua senha para evitar qualquer problema.

3 de nov de 2014

As 7 guerras e batalhas mais bizarras e desnecessárias de todos os tempos

Desde os primórdios das primeiras civilizações, os seres humanos sempre lutaram pelos mais variados motivos, sejam políticos, culturais ou religiosos.
Por mais que inúmeras guerras e confrontos tenham moldado o mundo como ele é hoje, existem muitas batalhas que foram um tanto desnecessárias e trouxeram mortes (em alguns casos, nem isso) que poderiam ter sido evitadas, em confrontos que ocorreram por motivos quase banais.
O site Spotniks reuniu algumas dessas batalhas em um artigo com dez das guerras mais bizarras e sem sentido do mundo, sendo que nós trazemos aqui no Mega Curioso sete desses exemplos resumidos para vocês. Confiram logo abaixo:

1 – Guerra do Lijar

Esse conflito, digamos assim, não teve nenhum morto. Em 1883, o rei espanhol Alfonso XII visitou Paris e foi insultado e atacado pela população local. O pequeno desentendimento não abalou as relações entre Espanha e França, porém somente os moradores do vilarejo espanhol de Lijar se revoltaram e decidiram declarar guerra ao país vizinho.
Inclusive, com o apoio de 300 moradores, o prefeito da época assinou um documento oficial para declarar o seu rancor e hostilidade aos franceses. Durante 93 anos, não houve qualquer conflito e ninguém foi morto, já que as ameaças foram insignificantes aos franceses, e eles as ignoraram. Somente em 1981 um diplomata francês foi enviado a Lijar para resolver a questão e acabar com o mal entendido.

2 – Guerra do Barril

Quantas vidas humanas vale um barril? Pelo jeito, aproximadamente 2 mil. Esse confronto teve início em 1325 quando os soldados de Modena, no território atual da Itália, invadiram Bologna e roubaram um barril de carvalho. Devido ao roubo, Bologna declarou guerra e enviou um exército para recuperar o tal artigo. Depois de 2 mil pessoas serem mortas, os Modeneses venceram o conflito e permaneceram com o estimado objeto, que até hoje está exposto na Torre do Sino.

3 – Guerra do Cão Perdido

Em 1925, um soldado grego ultrapassou a fronteira entre a Bulgária e a Grécia para procurar pelo seu cão perdido. Os solados búlgaros que viram o rapaz cruzar a fronteira não hesitaram e mataram o homem, que só desejava recuperar seu cachorro. Como os dois países não tinham boas relações, o conflito foi declarado. A Grécia pediu pela punição dos responsáveis, e o exército inclusive invadiu a cidade de Petrich, local onde ocorreu o incidente.
A Bulgária pediu intervenção da Liga das Nações, que ficou do lado dos búlgaros. Foram mortos entre 50 e 120 soldados, grande parte sendo composta por cidadãos búlgaros, e o confronto terminou após fortes pressões internacionais, que condenaram os gregos em mais de R$ 170 mil em indenização aos seus oponentes.

4 – Guerra de 1812

No passado, o tempo que as nações levavam para se comunicar influenciava muito o desenrolar dos confrontos, já que não existiam meios instantâneos de as pessoas trocarem informações como há hoje. Em 1808, um confronto entre britânicos e americanos poderia ter sido evitado se o telefone, por exemplo, existisse na época.
O então presidente dos Estados Unidos, James Madison, removeu o chamado Ato do Embargo, que permitiu que outros países fizessem comércio na costa americana. Entretanto, os britânicos não aceitaram isso de modo positivo, e persistiram com ataques às embarcações norte-americanas.
Apesar disso, em 1812, o Reino Unido revogou as leis de ataque às embarcações, porém os Estados Unidos não ficaram cientes da informação e, dois dias depois de os britânicos seguirem rumo à paz, os americanos declararam guerra ao país. O conflito durou aproximadamente dois anos e oito meses e teve mais de 3,8 mil soldados baleados, além de inúmeros prejuízos para ambos os lados.

5 – Guerra dos 335 anos

Esse "confronto" é um dos mais longos do mundo, com 335 anos, porém não pode ser efetivamente considerado um confronto, já que não houve mortes, porém tensões políticas. Os holandeses e os britânicos entraram em conflito pelo domínio das Ilhas Scilly, localizadas no sul do Reino Unido. Navios holandeses foram às ilhas e pediram indenizações pelas baixas sofridas na Guerra dos Oitenta Anos, porém nenhum acordo foi feito.
Assim, as embarcações voltaram aos Países Baixos. Como não existiram ações ofensivas, o conflito logo foi esquecido, dado como oficialmente encerrado em 1986 com um tratado de paz. O embaixador holandês Reub Huydecoper disse com bom humor após assinar o tratado que os habitantes das ilhas deviam viver em pavor por passaram mais de 300 anos "sabendo que podiam ser atacados a qualquer momento".

6 – Guerra do Futebol

O futebol realmente é capaz de deixar as pessoas mais alteradas, como nós brasileiros sabemos bem. Em 1969, as relações entre Honduras e El Salvador não andavam em perfeito acordo – algo que só foi agravado pela rivalidade das nações no campo de futebol. Jogadores de Honduras foram maltratados nos hotéis de El Salvador e vice-versa.
Quando os dois times se enfrentaram na Cidade do México na Copa do Mundo de 1970, o governo de El Salvador cortou todas as relações com o povo de Honduras. Dezoito dias depois, os hondurenhos bombardearam El Salvador, confronto que deixou entre 6 e 8 mil mortos e levou 4 dias para ser encerrado após intervenção da Organização dos Estados Americanos. Quanto ao futebol, foi El Salvador que venceu a partida.

7 – Guerra dos Emus

Talvez esse seja o mais bizarro dos casos listados, já que envolve seres humanos e pássaros raivosos. Em 1932, milhares de emus (um pouco menores do que os avestruzes) invadiram fazendas do interior da Austrália atrás de alimentos e de água. Como o volume de aves foi enorme, os fazendeiros resolveram atirar nesses animais para afastá-los de suas propriedades.
Estima-se que aproximadamente 10 mil balas foram utilizadas, porém elas não conseguiram conter o avanço desses animais (os emus não voam, porém são extremamente rápidos). No total, acredita-se que 20 mil emus invadiram as plantações, sendo que só 2 mil deles foram abatidos. Depois de dias de lutas, os australianos simplesmente desistiram dos combates e as aves permaneceram nas fazendas.

Os mais macabros experimentos feitos em humanos

CONGELAMENTO

Médicos nazistas submergiam vítimas em cubas de água gelada por períodos de até cinco horas em uma tentativa de encontrar maneiras de tratar os pilotos alemães forçados a entrar na água gelada do mar. As vítimas estavam ou nuas ou vestidas em trajes de aviador e assim eram submersas na água. Outros foram levados para fora no frio e amarrados nus.


TUBERCULOSE

Outros médicos nazistas queriam ver se algumas pessoas teriam uma imunidade natural à tuberculose, a fim de desenvolver uma vacina. Dr. Kurt Heissmeyer injetou diretamente a bactéria da tuberculose nos pulmões de suas vítimas no campo de concentração Neungamme. Ele foi o responsável pela morte de pelo menos 200 pessoas.


GÁS FOSGÊNIO

gaschamber-300x185

Os médicos submeteram 52 prisioneiros de campos de concentração a gás fosgênio, na tentativa de encontrar um antídoto para o composto.
O gás fosgênio foi usado como uma arma biológica durante a Primeira Guerra Mundial. Os nazistas intencionalmente colocaram suas vítimas expostas ao gás, causando irritação insuportável nos pulmões. Muitos prisioneiros, já desnutridos e fracos, sofreram complicações após a exposição experimental, e quatro morreram.


TRANSPLANTES

Os nazistas queriam saber se articulações e membros de uma pessoa poderiam ser removidos e transplantados em outra pessoa. Esses experimentos cruéis levaram a dezenas de prisioneiros de campos de concentração a ter seus membros desnecessariamente amputados. Toda tentativa de transplantar um membro ou conjunta foi um fracasso. Muitos foram mortos, mutilados e expostos a uma dor insuportável. Seções do músculo, osso e nervos também foram removidos em tentativas infrutíferas para regenerar as partes do corpo.

GUA DO MAR

gypsyseawater-300x191
Médico nazista Hans Eppinger tentou fazer a água do mar potável, mas não conseguiu. Os cientistas forçaram cerca de 90 ciganos a beber somente água do mar, e privou-os de todos os alimentos ou de água doce. As vítimas teriam lambido um piso recém-esfregado apenas para obterem uma pequena quantidade de água fresca. O resultado dessas experiências foram horríveis lesões corporais graves.


VENENO

Os nazistas também usaram veneno para torturar e matar presos. No campo de concentração de Buchenwald, prisioneiros russos receberam injeções com venenos experimentais, pois os cientistas trabalhavam para desenvolver novos métodos de execução. Um deles foi uma combinação de fenol e cianeto. Outras experiências incluiram a adição de produtos químicos tóxicos na comida ou fotografar os presos com cápsulas venenosas. Os que não morreram durante os experimentos foram assassinados para que uma autópsia pudesse determinar o impacto que o veneno realmente tinha.


INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

drclauberg
O notório Heinrich Himmler ordenou pessoalmente um médico a inseminar artificialmente prisioneiras de campos de concentração através de vários métodos experimentais. Dr. Carl Clauberg inseminou artificialmente cerca de 300 mulheres em Auschwitz, que foram amarradas para baixo e inseminadas impiedosamente. Clauberg contou que em suas vítimas havia usado esperma de animal para criar um monstro híbrido.

Os melhores bugs de games

Bugs são erros de programação que passam despercebidos pelos desenvolvedores e testadores da empresa que criou o jogo. Jogadores de videogame tem uma relação de amor e ódio com bugs. As vezes eles dão muita raiva, como por exemplo quando há um bug no sistema de salvamento do jogo que te impede de gravar seu progresso.

MAS BUGS TAMBÉM PODEM TE FAZER RIR…











App Buzz Launcher

Buzz Launcher é um aplicativo para Android, voltado aos que desejam trocar completamente o visual do seu telefone. O programa tem uma grande lista de temas que pode ser aplicados de maneira simples e gratuita nos aparelhos com o sistema do Google.
Ao executá-lo, o usuário passa por um pequeno tutorial, com mensagens falando como o app funciona. Depois, é hora de escolher um dos homepacks predefinidos, ou seja, achar o seu tema predileto para começar as personalizações. Navegue entre as opções que são dadas e veja qual você mais gosta. Toque em “aplicar agora” para que o download seja feito. Depois disso, um preview será exibido. Caso goste, confirme sua instalação.
Em alguns segundos, seu Android já estará totalmente de cara nova. Caso você não se sinta feliz com aquele tema, pode acessar a loja do Buzz Launcher, tocando no ícone de “b”, disponível em algumas telas como o menu de apps, e procurar novos. Existem diversos homepacks gratuitos para serem escolhidos.
É importante destacar que alguns desses temas funcionam com outros widgets que não vêm embutidos neles. Por isso, caso eles tenham, por exemplo, um modo diferente para mostrar a previsão do tempo, é bem provável que haja a necessidade de acessá-lo para verificar se ele está funcionando. Caso não esteja, será precisa baixá-lo no Google Play.
Para customizar perfeitamente o celular, deve-se fazer o download de alguns outros arquivos, não apenas do Buzz Launcher em si. Entretanto, o resultado tem tudo para ficar exatamente como você deseja, tornando o seu smartphone único e muito mais agradável. Confira.
Nossa opinião
O Buzz Launcher é um aplicativo muito interessante para quem cansou da interface que veio de fábrica do seu celular e quer dar uma cara nova a ele. Apesar do número de launchers no Google Play ser enorme e todos oferecem personalização do Android, nenhum parece ter tantas opções e permitir tantas mudanças como as oferecidas pela ferramenta.
Eu testei o Buzz Launcher em um Samsung Galaxy S3 e pôde notar que o programa é mesmo de qualidade. O primeiro destaque é a sua enorme variedade de temas e widgets. O usuário escolhe uma homepack (tema) assim que se cadastra – neste momento, são poucas opções – mas pode baixar outras várias posteriormente.
A experiência é semelhante a de ter diversos launchers em um só. Além disso, não é preciso desinstalar o tema usado para baixar o outro. É possível manter todos lá e trocá-los facilmente quando o usuário quiser, bastando acessar o menu lateral do Buzz. A facilidade de uso é um ponto no qual o app se destaca.
O menu de configurações do Buzz Launcher é bem completo e autoexplicativo, com suporte ao idioma português, facilitando bastante a usabilidade. Portanto, não há um ponto negativo sequer que seja relevante. Talvez a necessidade de download de um widget ou outro dependendo do tema, mas isso é normal em qualquer launcher.
Nos testes do que fiz, não houve qualquer tipo de travamento, erro de carregamento ou problema de desempenho em geral com o Buzz Launcher. O consumo de bateria só aumenta caso o usuário instale muitos widgets de terceiros, que não são obrigatórios. A personalização do visual funcionou muito bem e deixou o aparelho bem bonito.
Caso você queira testar um launcher no seu celular, comece pelo Buzz Launcher. Você dificilmente encontrará outro com tantas opções como ele.


Prós
  • Simples de configurar
  • Muitas opções de temas e widgets
  • Nenhum problema no desempenho
  • Gratuito.
Contras
  • Não há pontos negativos